Um fundo de investimento imobiliário é uma forma de investimento coletiva em empreendimentos imobiliários, sejam bens imóveis ou títulos de renda fixa e variável. Estes fundos são regulados, fiscalizados e têm seu funcionamento autorizado pela CVM –Comissão de Valores Mobiliários.  A instrução que regulamenta este mercado é a Instrução CVM nº 472.

De maneira simplificada, o investidor compra cotas de um fundo imobiliário, o fundo por sua vez, com o dinheiro arrecadado, compra ativos ligados à atividade imobiliária como: direitos reais sobre bens imóveis, letras hipotecárias, letras de crédito imobiliário, cotas de outros fundos imobiliários, entre outros ativos. Este é o processo que ocorre no mercado primário, quando novas cotas de um fundo são lançadas.

Os fundos de investimentos imobiliários podem ter suas cotas negociadas em bolsa de valores. Quando o investidor compras as cotas no mercado secundário, na bolsa de valores, ele está apenas comprando as cotas de outro investidor. Aquele dinheiro aplicado não vai para o fundo comprar novos imóveis, mas sim, para o vendedor das cotas.  O comprador passa, então, a ter os direitos sobre as cotas compradas.

O investidor que aplica em fundos imobiliários busca o rendimento de seu capital de duas formas: ganho de capital (quando há o aumento do valor das cotas) e pelo recebimento da distribuição dos lucros auferidos pelo fundo imobiliário. Normalmente, estes lucros são distribuídos mensalmente. Os fundos são obrigados a distribuir, pelo menos, 95% do lucro obtido. É justamente a distribuição de lucros que tem chamado muito a atenção dos investidores pessoas física já que, desde 2005, os valores recebidos pela distribuição de rendimentos e resultados são isentos de imposto de renda para investidores pessoa física.

Enquanto a corretagem na venda de um imóvel é algo em torno de 3% a 5% do valor total de um imóvel, a corretagem de compra ou venda de um fundo imobiliário é, normalmente, 0,5%. Além disso, caso o investidor precise de parte de seu dinheiro para alguma emergência ele pode vender parte de suas cotas, não precisa se desfazer de todas elas. Agora, imagine o proprietário de um imóvel avaliado em R$ 200.000,00 e que precise apenas de parte do valor de seu imóvel (R$ 30.000,00). Ele não poderá vender apenas o banheiro do imóvel para levantar este valor, teria que vender o imóvel inteiro.

Vender ou comprar as cotas na bolsa também é um processo simples, basta ver a cotação do fundo e colocar a sua ordem no sistema da bolsa via corretora de valores, não é necessário ir ao cartório, correr atrás de documentação, pagar impostos e mais uma infinidade de passos que são necessários na compra/ venda de um imóvel. Nos fundos imobiliários é tudo feito de forma eletrônica.

Para investir em um fundo imobiliário, o investidor deve possuir conta em uma Corretora ou Distribuidora de Valores Mobiliários.

Lembrem-se de que nossos textos não são indicações de compra ou venda de qualquer tipo de investimento. O mais importante antes de investir em um produto é saber se o investimento é alinhado com os seus objetivos de vida e perfil de investidor. Conte conosco para ajudá-lo a realizar este planejamento!

Saiba como realizar um planejamento financeiro fazendo o download do e-book abaixo:

Thiago Guedes Thiago Guedes

Financial Advisor Sênior

Bacharel em Administração pela Universidade de Brasília. Atua no mercado financeiro há mais de 10 anos onde exerceu as funções de operador de bolsa de valores, chefe de mesa de operações, planejador financeiro, gestor de equipe e instrutor de treinamentos. É ex-sócio da XP Investimentos, DXI e Guide Life. Atualmente é Financial Advisor Sênior da Rio Bravo Investimentos. Possui a certificação internacional CFP®, Certified Financial Planner. Twitter: @thiagokguedes Instagram: @thiagokguedes LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/thiago-k-guedes/

192

relacionados

Bitnami