Introdução: No exterior, permanece o cenário mais adverso para os ativos de risco. O dólar perde forças frente aos principais pares. As bolsas da Europa recuaram, enquanto as commodities operam sem direções muito claras. No Brasil, os investidores permanecem cautelosos com às incertezas locais. Os mercados domésticos reagem, em linha com o esperado, de forma negativa. Dólar e DIs mantém viés altista, e o Ibovespa recua mais de 5% e perde os 72 mil pontos.


CENÁRIO EXTERNO: CENÁRIO AINDA DESFAVORÁVEL PARA ATIVOS DE RISCO.

Mercados… As bolsas da Europa encerraram o dia em baixa. Nos EUA, o movimento não é diferente. S&P 500 e Nasdaq também recuam. As commodities operam sem direções claras, em dia de dólar mais fraco no exterior. O brent, por outro lado, recupera parte das perdas, e avança, oscilando na casa dos US$ 77/barril. Os juros das Treasuries seguem em queda (10 anos ~2,95%), com investidor em busca de proteção.

O G7… Os recentes comentários de Emmanuel Macron, presidente francês, refletem as tensões sobre os acordos comerciais envolvendo EUA e mundo. Os membros do G7 deverão pressionar Trump, na reunião do grupo marcada para esta semana, sobre as tarifas impostas por Washington sobre as importações de aço e alumínio. O ambiente é de cautela. E o receio é de que a pressão pode causa uma grande guerra comercial.

“Nesse contexto, nós sempre temos que, sobretudo, permanecer educados, permanecer produtivos e tentar convencê-lo a manter os Estados Unidos a bordo, porque eles são nossos aliados históricos e nós precisamos deles”, disse Macron

 

Na agenda de hoje… Nos EUA, dados mais fracos da economia surpreendem — em partes — o mercado. Segundo o Departamento de Trabalho dos EUA, os números de auxilio desemprego atingiram 222 mil novos pedidos. A expectativa era de 220 mil novos pedidos. Mais: os dados da semana anterior também foram revisados (de 221 mil para 223 mil pedidos, como dito anteriormente).


BRASIL: MERCADOS REAGEM ÀS INCERTEZAS LOCAIS, E DÓLAR MANTÉM VIÉS DE ALTA.

Mercados… Em linha com o esperado, a bolsa recua, e pressões de alta são registradas nos mercados de câmbio e juros. O Ibovespa recua mais de 6%, e opera abaixo dos 72 mil pontos (nas mínimas, diga-se de passagem). O CDS de 5 anos, que mede a percepção de risco país, sobe mais de 6%, e oscila ao redor de 260 pontos base. O mercado, de forma generaliza, precifica este ambiente de incertezas locais. O cenário externo desfavorável (é claro!) também não contribui para limitar as perdas para os ativos de risco doméstico.

Sobre o Ibovespa… Próximo das 15h, não havia nenhum papel (das 67 ações do índice) que registravam alta. Nem mesmo as exportadoras. O papéis do setor de saúde permanece entre as mais resilientes; já os papéis financeiros são destaques de queda. Essas perspectivas mais negativas quanto ao quadro político local e revisões baixistas da atividade doméstica pressionam o Ibovespa.

Cheiro de dinheiro novo… O leilão da Agência Nacional do Petróleo (ANP) rendeu R$ 3,15 bilhões em bônus de assinatura para a União, em linha com as expectativas. Mais: contratou investimentos previstos que somam R$ 738 milhões. Ou seja: o certame pode ser considerado bem sucedido. No geral, o leilão contratou três das quatro áreas ofertadas com um ágio de 202,3%. Apenas o Itaimbezinho, ativo considerado menos rentável, não recebeu nenhuma oferta.

Mais um da Fiesp? Josué Gomes, dono da Coteminas, deve pedir nesta 5ª feira (07) a licença do seu cargo de vice-presidente da Fiesp. Josué é filiado do PR, e pode concorrer a algum cargo público nas eleições deste ano. Lembrando: Paulo Skaf, presidente da entidade, e Benjamin Steinbruch, vice presidente da Fiesp, já se licenciaram, ontem, de suas funções na organização para concorrer às eleições de outrubro.

Gomes e Bolsonaro? Cresceram, no mercado, a expectativa de que o executivo seja o possível candidato a vice presidência da chapa de Jair Bolsonaro (PSL). Uma segunda opção do partido de Bolsonaro também poderia ser o PRB – ligado à Igreja Universal. Vamos acompanhar. De qualquer forma, essa incerteza com relação à corrida eleitoral, as discussões em torno das contas fiscais do governo e o exterior sem apetite à risco são motivos que devem deixar os mercados aqui ainda voláteis.


    Sobre as oscilações do pregão:

    Ibovespa: : -4,87%, aos 71.841 pontos;
    Real/Dólar: +1,72%, cotado a R$3,967;
    Dólar Index: -0,24%, 93,333;
    DI Jan/21: +11 pontos base; 9,911%;
    S&P 500: -0,22%, aos 2.766 pontos.

    *Por volta das 15h13, horário de Brasília. Obs.: a taxa de câmbio utilizada é a referência da Bloomberg.

    Contatos

    Renda Variável*


    Luis Gustavo Pereira – CNPI
    [email protected]

    Equipe Econômica

    Ignácio Crespo
    [email protected]

    Lucas Stefanini
    [email protected]

    Rafael Gad
    [email protected]

    *A área de Renda Variável é a responsável por todas as recomendações de valores mobiliários contidas neste relatório.
    “Este relatório foi elaborado pela Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores, para uso exclusivo e intransferível de seu destinatário. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores. Este relatório é baseado em informações disponíveis ao público. As informações aqui contidas não representam garantia de veracidade das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade das mesmas e não devem ser consideradas como tal. Este relatório não representa uma oferta de compra ou venda ou solicitação de compra ou venda de qualquer ativo. Investir em ações envolve riscos. Este relatório não contêm todas as informações relevantes sobre a Companhias citadas. Sendo assim, o relatório não consiste e não deve ser visto como, uma representação ou garantia quanto à integridade, precisão e credibilidade da informação nele contida. Os destinatários devem, portanto, desenvolver suas próprias análises e estratégias de investimentos. Os investimentos em ações ou em estratégias de derivativos de ações guardam volatilidade intrinsecamente alta, podendo acarretar fortes prejuízos e devem ser utilizados apenas por investidores experientes e cientes de seus riscos. Os ativos e instrumentos financeiros referidos neste relatório podem não ser adequados a todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento, a situação financeira ou as necessidades específicas de cada investidor. Investimentos em ações representam riscos elevados e sua rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Informações sobre quaisquer sociedades, valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros objeto desta análise podem ser obtidas mediante solicitações. A informação contida neste documento está sujeita a alterações sem aviso prévio, não havendo nenhuma garantia quanto à exatidão de tal informação. A Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores ou seus analistas não aceitam qualquer responsabilidade por qualquer perda decorrente do uso deste documento ou de seu conteúdo. Ao aceitar este documento, concorda-se com as presentes limitações.Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos do artigo 17 da Instrução CVM nº. 483/2010, que: (I) Quaisquer recomendações contidas neste relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradas de forma independente, inclusive em relação à Guide Investimentos S.A. Corretora de Valores.“
    Rafael Gad Passos Rafael Gad Passos

    Equipe Econômica

    Graduado em Administração de Empresas na ESPM. Possui certificação de Mercado de Ações (BMF&Bovespa). Possui experiência na área de análise do Banco Bradesco Investimentos e atualmente faz parte da equipe de Research da Guide Investimentos, com foco nas empresas do Ibovespa.

    141

    relacionados

    Bitnami